top of page
Buscar
  • Foto do escritorsindicatoruralderioverde

Goiás foi o quarto Estado que mais criou empregos formais no agronegócio em 2022


Entre os municípios, Cristalina lidera criação de postos formais. Agropecuária goiana também é destaque no estoque de vagas, com o quarto maior número do país de empregados no setor


Goiás foi o quarto estado que mais criou empregos formais no agronegócio em 2022, com saldo positivo de 5.973 vagas de trabalho. Divulgado na última terça-feira (31/1), o balanço final do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostrou 77.030 admissões e 71.057 desligamentos no setor no ano passado.


Os segmentos que mais criaram empregos foram as atividades de produção de lavouras temporárias (2.814), apoio à agricultura e à pecuária (1.305) e pecuária (1.263). No ranking de criação de vagas com carteira assinada em atividades agropecuárias, Goiás ficou atrás apenas dos estados de Mato Grosso (7.609), Minas Gerais (6.746) e Mato Grosso do Sul (6.472).


Em relação ao estoque de vagas do setor (total de trabalhadores empregados), Goiás fechou o ano na quarta posição nacional, com 116.154 postos formais de trabalho. O número representa um aumento de 5,4% em relação a 2021. O percentual de crescimento do estoque de vagas no agronegócio goiano supera a média nacional no período, que ficou em 3,9%.


“Isto quer dizer que o agro goiano está empregando mais gente, ou seja, está crescendo e ganhando cada vez mais importância tanto do ponto de vista econômico quanto social. Uma coisa caminha junto com a outra, daí a necessidade de incentivar o desenvolvimento sustentável do agro, para que ele possa retornar cada vez mais benefícios para a sociedade brasileira”, defende o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça.


Ele cita a importância de políticas públicas como o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), que tem uma linha de crédito específica para o setor rural, o FCO Rural. A Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) participa do Conselho de Desenvolvimento do Estado, órgão responsável pela análise das cartas-consulta e autorização dos financiamentos.


“Ano passado aprovamos 1.423 projetos e autorizamos R$ 1,7 bilhão em financiamentos do FCO Rural para Goiás, com estimativa de criação de mais de 2,5 mil empregos diretos em 163 municípios”, lembra Mendonça. “Nossa expectativa é ampliar esses números em 2023. Estamos digitalizando o FCO e fortalecendo a participação de agentes de crédito como a Goiás Fomento no setor rural. Tenho convicção de que colheremos grandes resultados na produção e na geração de emprego e riqueza no campo”, conclui o secretário.


Municípios

De acordo com o Caged, Cristalina liderou a criação de vagas entre os municípios goianos em 2022. O saldo positivo foi de 603 postos formais. Rio Verde veio na sequência, com saldo positivo de 432 vagas. Entre os 10 primeiros ficaram ainda: Formosa (271), Itumbiara (245), Mineiros (208), Morrinhos (184), Jataí (178), São Simão (172), Goiânia (162) e Acreúna (154).


Foto: Enio Tavares/Seapa


Fonte: Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Governo de Goiás

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page